1. Home
  2. Especialidades Médicas
  3. São Paulo
  4. Medicina do Exercício e do Esporte

Medicina do Exercício e do Esporte

telefone São Paulo (11) 3394-5007

Destaque Marketing

Sobre o nosso núcleo

O Núcleo de Medicina do Exercício e do Esporte do Sírio-Libanês atende atletas profissionais e pacientes de todas as idades, incluindo crianças e terceira idade.

Com uma equipe formada por especialistas com título conferido pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE), o núcleo tem por objetivo prestar atendimento individualizado e de excelência, possibilitando um retorno seguro à prática esportiva.

Endereço e horários

Hospital Sírio-Libanês Bela Vista
Rua Dona Adma Jafet, 115

Horário de atendimento
Segunda a sexta: 8h às 20h
Sábados: 8h às 12h

Contato

telefoneSão Paulo (11) 3394-5007

Equipe

Nossa equipe é altamente especializada em cada área de atuação.

Equipe

Nossa equipe é altamente especializada em cada área de atuação.

Coordenador
Dr. Arnaldo Hernandez
CRM (SP) 40.030

Médicos
Dr. Adriano Marques de Almeida
CRM (SP) 100635

Dr. Paulo Sergio Martino Zogaib
CRM (SP) 46410

Dr. Pedro Baches Jorge
CRM (SP) 117484

Dra. Sandra Umeda Sasaki
CRM (SP) 87197

Dr. Tiago Lazzaretti
CRM (SP) 112137

Coordenador
Dr. Arnaldo Hernandez
CRM (SP) 40.030

Médicos
Dr. Adriano Marques de Almeida
CRM (SP) 100635

Dr. Paulo Sergio Martino Zogaib
CRM (SP) 46410

Dr. Pedro Baches Jorge
CRM (SP) 117484

Dra. Sandra Umeda Sasaki
CRM (SP) 87197

Dr. Tiago Lazzaretti
CRM (SP) 112137

Áreas de atuação

  • Promoção à saúde

  • Prevenção de lesões relacionadas ao esporte

  • Avaliação pré-participação

  • Tratamento de todas as lesões esportivas

  • Contusões musculares

  • Traumas e entorses

  • Lesões de cartilagem e menisco

  • Lesões ligamentares

Perguntas Frequentes

Por Prof. Dr. Marcus Castro Ferreira

Não há propriamente tipos de feridas. Elas podem ser classificadas em agudas e crônicas, conforme o tempo transcorrido desde seu início.

  • As feridas agudas são as mais recentes e as crônicas as que não fecharam após 30 dias.
  • As feridas crônicas são as mais frequentes na prática clínica e subdivididas segundo a causa delas: no membro inferior as diabéticas e as relacionadas à hipertensão venosa e na região sacral as úlceras por pressão relacionadas com pressão na pele recobrindo saliências ósseas em pacientes idosos e acamados. Uma outra classificação é entre feridas simples e feridas complexas o que nos leva à pergunta seguinte.

Os graus da ferida estão relacionados com a extensão da ferida mas principalmente com a sua profundidade: feridas de primeiro grau são aquelas que somente a epiderme (porção mais superficial da pele) foi atingida, segundo quando a epiderme e parte da derme foram afetadas e terceiro grau quando toda a pele (derme e epiderme foram atingidas). O diagnóstico é clínico, visual no terceiro grau por exemplo se conseguimos, ao examinar a ferida, ver tecido gorduroso ou músculo etc, saberemos que as camadas da pele sobre eles foram destruídas.Entre outro critérios consideramos as feridas complexas como as de terceiro grau com perdas mais extensas e que não cicatrizam em tempo normal. As simples são de primeiro e segundo grau ou aquelas mais profundas mas que cicatrizam em até um mês.

É o caso da grande maioria das feridas operatórias (provocadas pela incisão do cirurgião) que são feridas simples por que como sabemos a maioria dela evolui normalmente sem complicações. Se a ferida operatória não estiver resolvida no máximo até 3 a 4 semanas consideramos a ferida como complexa, deve ser avaliada por cirurgião que verá a oportunidade de realizar limpeza cirúrgica, usar métodos mais atuais com terapia por pressão negativa e/ou realizar reparações cirúrgicas com cirurgia plástica.

Não se considera graus de contaminação da ferida. A presença de microorganismos é frequente mesmo na pele normal e raramente são a causa de feridas. O que ocorre é a possível infecção secundária da pele após a lesão inicial. Essa infecção (reação a grande numero de bactérias) na maioria das feridas não é significativa para justificar tratamento específico e antibióticos não precisam ser prescritos. Chamamos nesses casos de colonização da ferida.

Blog do Sírio-Libanês